Archive for ‘Raças B’

março 12, 2011

BICHON FRISÉ

“Quem tem um Bichon Frisé sabe que, por baixo daquele monte de pêlos fofinhos, existe um cachorrinho divertido e esperto”, diz a criadora Marise Fontes, do Bright Canil, de Brasília (DF). Segundo ela, é fácil conviver com a raça que considera charmosa, vivaz, alegre, gentil e inteligente. “São também muito brincalhões e afetivos, além de fáceis de serem treinados, e não são agressivos”, continua.

Essas qualidades, de acordo com Marise, fazem do Bichon uma excelente companhia para crianças e outros cachorros. No entanto, ela avisa que é preciso um pouco de cuidado com crianças muito pequenas, pois eles tendem a reagir quando muito importunados.

Como a maioria das raças pequenas, adapta-se muito bem a apartamentos, mas necessita de algum exercício, que não deve ultrapassar 15 minutos diários.

Uma queixa comum de donos que possuem o Bichon e trabalham fora o dia todo: normalmente, eles recebem reclamações dos vizinhos por excesso de barulho ou encontram a casa toda desarrumada ou com móveis roídos quando voltam no final do dia.

Marise diz que os Bichons parecem ter uma noção de limpeza e auto-estima muito grande. Vários donos afirmam que seus cachorros parecem orgulhosos depois de penteados e tosados no corte típico da raça. Também costuma ser fácil seu adestramento, principalmente para a hora do xixi e coco no lugar certo.

Confundido muitas vezes com um Poodle, o Bichon é resultado do cruzamento dessa raça com o maltês. Sua altura varia de 20 a 30 centímetros. O pelo é macio e encaracolado, sendo que para os adultos, o ideal na hora da tosa, é que a pelagem tenha de 7 a 10 centímetros de altura.

CUIDADOS BÁSICOS

Como a maioria das raças pequenas, adapta-se muito bem a apartamentos, mas necessita de passeios. É comum também reclamações dos vizinhos por causa do barulho. Não deixá-lo muito exposto ao sol, para não manchar a pelagem branca, e tosa especializada são recomendáveis. Apesar de serem considerados hipoalergênicos, eles próprios são propensos a alergias. Entre os problemas de saúde mais comuns estão os dentários, luxações, problemas de ligamento, bexiga e pedra nos rins. As orelhas devem ser limpas semanalmente, para evitar otites. Sua média de vida é de 12 anos. As causas mais apontadas de morte são câncer (22%), causas desconhecidas (14%), hematológicas (11%) e idade avançada (10%).

Porte: Pequeno
Origem: França

Curiosidade

O Bichon Frisé é uma boa companhia para longos passeios ou até para corridas curtas. Caso eles façam exercícios diários, tornam-se bastante ativos dentro de casa.

História

Os primeiros relatos da raça datam do século XII, nos quais pequenos cães brancos de pêlo longo eram dados como presente na Europa. O Bichon se tornou muito popular na Espanha, onde era conhecido como Teneriffe, e na França. Na corte do rei francês Henrique III, recebiam tratamento privilegiado, a partir do qual teria originado o termo “bichonner”, que significa “enfeitar”. Os maiores criadores da raça no mundo são a Bélgica, a França e os Estados Unidos.

Fonte: Internet

março 12, 2011

BERNESE MOUNTAIN DOG

As regiões montanhosas da Suíça exigem um cão rústico e forte como o Bernese Mountain. Este cão, também conhecido como “boiadeiro montanhês de Berna”, chega a medir de 58 a 70 centímetros de altura e pesar entre 30 a 60 quilos. A pelagem típica é tricolor: preta, ferrugem ou marrom e branca. Resistente, mas de textura suave, protege dos ventos gelados e da neve da região de origem.

O crânio é plano e o focinho forte e reto. Os olhos, castanhos escuros e amendoados, dão uma expressão de lealdade. O corpo é compacto e o peito é amplo.

Afetuoso, leal, inteligente e obediente, o Bernese tem temperamento amoroso e não responde bem a tratamento violento. Por causa de seu tamanho, precisa de bastante espaço e exercícios diários, mas não muito intensos, como puxar crianças em carrinhos ou acompanhar seus donos em uma caminhada.

CUIDADOS BÁSICOS

Por causa de seu tamanho, precisa de bastante espaço e exercícios diários. Escovação regular para manter os pêlos brilhantes. As orelhas também precisam ser limpas regularmente. Estudos demonstram que esta raça não tem longevidade. Sua média de vida é de sete a oito anos. A causa principal de morte é câncer. Há ainda ocorrências de artrite, displasia do quadril e problemas de ligamento.

Porte: Grande
Origem: Suíça

Curiosidade

O Bernese foi introduzido na Suíça pelas legiões romanas, durante o primeiro século antes de Cristo.

História

O Bernese surgiu de cruzamentos entre cães guardiões e cães de trabalho, originários do cantão de Berna, na Suíça. É uma raça que desfruta de muita popularidade fora de seu país de origem.

Fonte: Internet

março 5, 2011

BEDLINGTON TERRIER

Por trás da frágil aparência de “carneirinho” desta raça, escondem-se a força e a valentia de um “lobo”, que combina o aspecto exótico a um temperamento meigo e obediente de um cão de companhia e excelente para crianças.

Em sua terra de origem, ele era utilizado como cão de caça no combate aos ratos das minas de extração. Conta a lenda que os mineiros e lutadores da época apostavam grandes quantias nas lutas entre os Bedlingtons de suas respectivas criações.

Uma vez na briga, este cão era o mais digno lutador e nela permanecia até a morte. Por meio de acasalamentos, a raça ficou maior, mais pesada e passou a ser apreciada como cão de companhia pela nobreza européia, cujas características principais são a atividade e a curiosidade.

O Bedlington Terrier pode medir de 33 a 37,4 centímetros e pesar entre 7 a 10 quilos. A pelagem é espessa e eriçada, de cor azul, marrom ou areia, com ou sem marcação de castanho. Ao se movimentar, a impressão que se tem é de galope em grande velocidade.

CUIDADOS BÁSICOS

Como todo cão, gosta de dar suas voltinhas. Adapta-se bem a apartamentos, mas não gosta de dividir espaço com outros animais. O pêlo lanoso e encaracolado precisa de tosa especializada. É preciso ter atenção quanto à alimentação, pois esta raça tem propensão a doenças hepáticas, como acúmulo de cobre no fígado. Sua média de vida é de 13,5 anos, mas já houve registros de um cão ter vivido 18,4 anos. As principais causas de morte constatadas são idade avançada (23%), urológicas (15%) e hepáticas (12,5%).

Porte: Pequeno
Origem: Inglaterra

Curiosidade

O Bedlington é ciumento e não gosta de dividir as atenções de seu dono, principalmente se for com outro cão.

História

O Bedlington Terrier surgiu na região de Northumberland, no noroeste da Inglaterra, no condado mineiro de Bedlington, de onde deriva o seu nome. As primeiras menções datam de 1882. Até 1825, era conhecido como Rothburny Terrier ou Fox Terrier dos Condados do Norte.

Fonte: Internet

março 5, 2011

BEAGLE

Cão de companhia e caça, robusto e compacto. De origem inglesa, é ágil e muito inteligente. Costuma medir entre 33 e 45 centímetros de altura e pesar entre 15 e 20 quilos. Sua pelagem é curta, forte e lisa, podendo ser tricolor (preto, branco e caramelo) ou bicolor (branco e caramelo).

Por seu temperamento alegre, tanto na caça como para companhia, possui grande popularidade e é ideal para crianças por ser um cão muito ativo. Extremamente guloso, tem tendência a engordar, por isso precisa de exercícios diários. Também costuma ser temperamental e está entre as raças de menor grau de obediência. Se não for adestrado logo no início e não tiver espaço para correr, seu dono pode perder o controle de suas atitudes e ter vários objetos destruídos pela casa.

CUIDADOS BÁSICOS

Elétrico, precisa de espaço para correr e brincar. Não gosta de ficar muito tempo sozinho, nem ficar confinado em espaços pequenos. As orelhas devem ser limpas semanalmente para evitar otites. Como é guloso, deve-se ficar de olho na alimentação, pois tem tendência a ficar obeso. Sua média de vida é de 12 anos. Os problemas de saúde mais comuns são cardíacos, devido ao aumento de peso, nanismo, epilepsia e hipotireoidismo.

Porte: Pequeno
Origem: Inglaterra

Curiosidade

Você sabe qual é o Beagle mais famoso do mundo? Se você respondeu Snoopy, acertou. Foi nesta raça que Charles Schulz inspirou-se para criar o cão mais conhecido das histórias em quadrinhos, em 1950.

História

A raça foi mencionada pela primeira vez no século III, pelo trovador escocês Ossian. Durante os reinados do rei Henrique VIII e da rainha Elizabeth I, tornou-se bastante popular na Inglaterra por seu faro apurado para a caça. Na França, ele foi introduzido em 1860. Em 1914, foi fundado o Clube Francês do Beagle e os franceses costumam comemorar anualmente, em 12 de junho, o Dia do Beagle.

Fonte: Internet

março 5, 2011

BASSET HOUND

As longas orelhas, o faro apurado e o pescoço forte, com algumas dobrinhas, tipificam o Basset Hound. Apesar da expressão aristocrática e inteligente, a pele é frouxa, o que faz com que, quando ele abaixe a cabeça, haja formação de “rugas”, dando-lhe um olhar triste.

Esta raça possui ossatura forte e sua altura varia entre 33 e 38 centímetros, podendo pesar entre 20 e 30 quilos. A pelagem é curta e lisa, mas não demasiadamente fina. Geralmente, os Bassets são tricolores (branco, preto e marrom) ou bicolor (branco e marrom ou preto e marrom). As patas são curtas e grossas e a cauda longa, afinada no final e curvada para cima.

O Basset Hound tem temperamento calmo e companheiro, mas não gosta de ficar muito tempo sem a presença dos donos. É extremamente leal, sensível e carinhoso, convivendo muito bem com toda a família e outros animais de estimação. Por causa do forte instinto para a caça, está sempre perseguindo insetos, aves, ciclistas e qualquer coisa que chame sua atenção.

CUIDADOS BÁSICOS

Pode ser criado em apartamentos, mas precisa de atividades físicas para manter o peso. As orelhas longas devem ser limpas regularmente para evitar otites. Atenção também à dieta balanceada, pois tem tendência à obesidade. A média de vida deste cão é de 11 anos. As causas mais comuns de morte são câncer (31%), idade avançada (13%), problemas gástricos (11%) e cardíacos (8%). Os Bassets também estão propensos a glaucoma, hipotiroidismo, displasia no quadril e problemas na coluna.

Porte: Pequeno
Origem: Inglaterra

Curiosidade

Seu faro só perde para o Bloodhound. O nome “basset” vem da palavra francesa “bas”, que significa “baixo” ou “anão”. Apesar das pernas curtas, pode surpreender ao alcançar objetos em lugares que outros cães da mesma estatura não conseguiriam.

História

A história desse cão é antiga, remonta aos monges medievais e está diretamente relacionada com o surgimento dos Bassets franceses. Surgiu por volta de 1800, na Inglaterra, após cruzamentos entre o Bloodhound e o Beagle, ambos apreciados pelos ingleses por causa do apurado instinto para a caça.

fonte: Internet

março 4, 2011

BASENJI

Existe uma corrente que acredita que o Basenji descende do Spitz, por causa da semelhança entre ambas as raças. Outra versão diz que a raça é derivada de cães párias da África Central, onde foi usado como guia para a caça.

Inteligente e de aspecto chamativo, segundo definição de criadores, combina conformação ligeira à graça de uma gazela.

Para valorizar este conjunto, as orelhas, pontiagudas e eretas, ficam no alto da cabeça. A altura do Basenji varia entre 40 e 43 centímetros e seu peso entre 9 e 11 quilos.

Sua pelagem, curta e lisa, é encontrada geralmente nas cores vermelha com manchas brancas. No Zaire, também são encontrados exemplares tigrados.

Alegre e afetuoso com as pessoas, é considerado um ótimo cão de companhia. Com outros cães, costuma ser hostil. Como não late, emite sons semelhantes a uivos em falsete.

E ele tem ainda uma grande vantagem: exige poucos cuidados, pois, a exemplo dos gatos, costuma limpar seu próprio pêlo.

CUIDADOS BÁSICOS

Bom para apartamento, desde que saia para passeios diariamente. Quase não late e é extremamente limpo. Exige poucos cuidados, como banho e escovação. Entre as doenças mais comuns são cegueira e Síndrome de Fanconi, que pode causar insuficiência renal. A média de vida é de 13 anos, mas já se registrou um exemplar da raça que chegou aos 17,5 anos.

Porte: Pequeno
Origem: Zâmbia

Curiosidade

Uma das mais antigas raças de cães e uma das poucas a ser desenvolvida na África.

História

Existem registros de cães semelhantes ao Basenji em antigas tumbas egípcias. Em 1934, foi levado para a Europa para ser usado como cão de companhia.

Fonte: Internet